domingo, 11 de outubro de 2009

O Porto está de Luto


O país festeja, mas nós esclarecidos aqui no Porto estamos de luto e vamos chorar copiosamente durante os quatro próximos anos: o tal horror venceu as eleições autárquicas. Oito anos sem obra e os quatro anos que se seguem serão igualmente de penúria. Mas as laranjas pobres que votaram nesse horror dos horrores são responsáveis: votaram na destruição da Cidade Invicta. Rui Rio é o horror personificado! Rui Rio é o coveiro do Porto! Todos aqueles que votaram em Rui Rio são carrascos! Os arredores do Porto crescem; o Porto está parado, como se tivesse desistido de existir! No entanto, o PS é responsável pelas suas derrotas no Porto, desde que apostou na recandidatura de Fernando Gomes até à de Elisa Ferreira. Além disso, a escolha dos outros membros das listas ou mesmo a formação das listas de honra têm sido péssimas: os socialistas do Porto não seduzem os eleitores portuenses, já para não falar das pseudo-elites do Porto que são visceralmente burras e oportunistas. A maior universidade do país tem um quadro docente miserável: o Porto não tem verdadeiras elites, mas bandos de oportunistas sem qualidades.
Apesar desta derrota da esquerda, isto é, do PS, no Porto, o Partido Socialista obtém uma vitória extraordinária nestas eleições autárquicas, ferindo gravemente a implantação autárquica do PSD e humilhando os partidos à sua esquerda, nomeadamente o Bloco de Esquerda. António Costa conquistou a maioria absoluta em Lisboa, derrotando a direita e o BE. Deste modo, o PS afirma-se como uma grande força política de centro-esquerda que, no decorrer deste ciclo eleitoral - eleições europeias, eleições legislativas e eleições autárquicas -, reforçou sempre a sua base eleitoral. O PSD está em declínio e, como nas próximas eleições autárquicas muitas das suas tristes figuras já não podem recandidatar-se, abre-se naturalmente um novo espaço que o PS pode conquistar, emagrecendo a direita portuguesa a todos os níveis. Se souber governar à esquerda, o PS consegue enfraquecer o PCP e o BE, como já sucedeu nestas eleições autárquicas: José Sócrates precisa reler Maquiavel e governar de modo a reconquistar os votos dos portugueses intelectualmente menos preparados, sem perder o eleitorado que oscila entre a esquerda e a direita, embora seja predominantemente de esquerda. O eleitorado que se identifica com o PSD e com o CDS não vota no PS e, quanto a isto, não há nada a fazer, a não ser manobrar a sua decadência e a sua falta de inteligência. Neste momento, o PSD não tem quadros credíveis e a juventude que o apoia é muito pouco dotada em termos de inteligência, como se viu nas eleições autárquicas no Porto.
A aposta numa educação de qualidade é fundamental para requalificar os portugueses e implantar hábitos saudáveis de cidadania naqueles que podem ser recuperados. Os outros a vida irá encarregar-se deles - não só aqueles que fazem parte das gerações que sofreram o impacto do salazarismo, mas também um número significativo dos mais jovens que não foi preparado para assumir responsabilidades. Infelizmente, a população portuguesa não se renovou em termos de qualidade: a geração dos mais novos pode ser pior que as gerações dos pais e dos avós. O discurso de Manuela Ferreira Leite fornece uma pista de acção: ela insinuou que o próximo governo socialista pode ser levado a beneficiar as autarquias socialistas em detrimento das autarquias da direita; pelo menos, seria algo idêntico que faria se fosse formar governo. Não faz parte do perfil do PS contribuir para o atraso do país, mas o governo pode e deve surpreender os autarcas da direita, apresentando planos de desenvolvimento regional. Cabe ao governo estabelecer um projecto de futuro para Portugal - um projecto de desenvolvimento integral que deve assentar na regionalização. A regionalização é o segredo do desenvolvimento económico e cultural de Portugal, além de ser uma boa arma para combater a corrupção nas autarquias. A hegemonia cultural é mais eficaz se for descentralizada: cada região precisa de ser dotada dos seus próprios meios de comunicação para travar a sua luta contra as forças reaccionárias da direita portuguesa. Rui Rio beneficiou do facto da sua acção governativa ter sido pouco escrutinada pelos meios de comunicação social, em especial pelos canais de televisão, porque, se o tivesse sido, a "lei da rolha" teria sido fatal para a sua continuidade. A difusão de notícias de Lisboa - e sobre Lisboa - não contribui para o conhecimento que as regiões devem ter de si mesmas; pelo contrário, afasta as pessoas da vida pública.
J Francisco Saraiva de Sousa

31 comentários:

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Bem, pelo menos Luís Filipe Menezes - Gaia - fez um discurso de reivindicação forte, mas o horror do Porto não vai fazer aliança - é mesmo o coveiro do Porto.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Menezes fez obra, mas Rui Rio não fez obra, tendo o Porto cativo da sujidade e da ausência de futuro. Rui Rio é o coveiro do Porto! :(

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Não há nada a fazer - mais quatro anos de atraso e de adiamento. Depois de 12 anos perdidos, estaremos no fim completamente mortos!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

O Porto está morto!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

E os portistas que votaram em Rui Rio devem fechar a matraca com um adesivo - perderam o direito à palavra, porque são responsáveis pela morte da cidade!

Goggly disse...

Francisco,

na cidade dos arcebispos, Mesquita Machado foi levado ao colo pelo povo. Não há dúvida que eleger um cigano corrupto para a autarquia é o ponto forte de Braga. Mas ao menos queira celebrar o facto do Avelino não ter sido eleito, desta vez: é corrupto até mais não. «A hegemonia cultural é mais eficaz se for descentralizada». É precisamente essa "hegemonia cultural" que me está debaixo da língua quando quero participar do PS. Sabe o que é isso? Conversa fiada e duvidosa. Os socialista da pseudo-elite de Braga podem muito bem sobreviver a uma tempestade nuclear, como a barata, mas basta calcar esse insecto repugnante para deixar de existir.

Goggly

Ps: não tenho estado ao corrente do seu blogue, Francisco; e também não tenho dado atenção às notícias sobre a vitória de Rui Rio no Porto, peço desculpa.

Sr disse...

Calma, francisco, foi apenas uma batalha e até ha males q vem por bem: Fatima Felgueiras perdeu e vem morar pro Porto..


:))

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Bom Dia

Estou calmo, apesar da tristeza que sinto por ver o futuro do Porto adiado por mais quatro anos. Rui Rio é efectivamente uma péssima escolha.

Mas vou começar a ser mais crítico em relação ao Porto, porque conheço bem o esterco do Norte: as pseudo-elites são responsáveis por este marasmo.

Bem, o Major e o Menezes são figuras que podem dar força ao Porto contra o poder central; os outros são lacaios do poder central.

Quanto à corrupção, ela combate-se com as televisões regionais. Precisamos de regionalização bem feita - autonomia é a palavra de ordem. As universidades do Norte estão entregues a burrecos, como todos sabemos. Há muito trabalho a fazer... :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Goggly

Não sei se o Mesquita de Braga é corrupto ou não, mas Braga teve obra nestes últimos anos. É melhor que o nada de Rui Rio.

Sr

A Fátima Felgueiras é uma pessoa simpática e, afinal, existem pessoas muito más capazes de inventar cabalas.

Fräulein Else disse...

Olá do outro lado,

Sim, há muito trabalho a fazer, porque o Norte está cheio de gente muito ambiciosa e egoísta... e, por isso, há os "lacaios do poder central", q dao tudo para ter um tachinho seguro. Enfim, deixo-lhe os meus pêsames, porque para o Norte mudar, têm de mudar as mentalidades e isso é projecto a longo prazo, mais do que os 4 aninhos de purgatório com Rui Rio. ;)

Goggly disse...

Francisco,

realmente Rui Rio não é o ideal para o Porto; é um tanto ou nada corruptível - ou talvez seja impressão minha. O discurso de ontem à noite - eu apenas vi um pouquito - confirma o que acabo de dizer: é um pouco nabo; aquela autoridade - ainda que sub-repticiamente - que manifestou, e o ataque à tripa-forra ao primeiro-ministro, confirma isso mesmo, que é corruptível. Já a Elisa Ferreira, é simpática e bastante ponderada; mas não chega aos calcanhares do Rio.
Quanto à situação de Braga, bem, há-de ver a construção a retalho do Braga Parque! É um investimento que toca as raias do ridículo.

Do espaço,
Goggly.

Goggly disse...

Francisco,

certa vez, em frente ao café Viana, o Mesquita Machado passou mesmo ao meu pé; cumprimentei-o com uma pancadinha nas costas... Como se gostasse muito dele! Foi por altura da campanha de 2005, penso - ele e os seus compinchas andavam aqui e ali a entregar panfletos e coisas assim; de maneira que, quando por lá passei e o vi, não resisti a uma pancadinha. As pessoas gritavam Hurra! - e eu lá no meio, imagine.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Goggly

É isso mesmo: Rui Rio é um "nabo". Boa imagem do Rio, o homem da família dos nabos.

Sim, Parque Braga é uma vergonha! Mas o poder autárquico é mesmo muito corrupto. :(

Else

Obrigado pelos pêsames, mas não vou desistir, até porque penso começar a ser mais crítico em relação ao Porto e sua gente. :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

O problema do Porto reside no facto de estar cativo de gente muito burra, egoísta e submissa ao poder central: a visão de Rui Rio da cidade é medieval e medíocre. Esta gente não tem cultura e é avessa à modernidade. É gente muito feia a do Norte! :(

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

No plano do ensino superior, a corrupção e a mediocridade são totais: a vida universitária é aqui uma guerra pelo tacho. Ninguém produz nada; todos fingem estar ocupados, mas estão completamente desocupados. A inveja e a intriga dominam tudo! Não há verdadeiro ensino universitário ou mesmo investigação: é tudo MENTIRA!

Sr disse...

"as pseudo-elites são responsáveis por este marasmo.

Bem, o Major e o Menezes são figuras que podem dar força ao Porto contra o poder central; os outros são lacaios do poder central."


______


LOL, as pseudo-elites afectas à àrea do PS, né!!!
As outras "elites", ou já se foram a prazo, ou renderam-se à ideia de "mobilidade" europeia e tanto lhes faz q ganhe a, b ou c. Querem é ter os gadgets actualizados e frequentar espaços Calatrava-Gehry LOL


Qt ao Major e Menezes, sao duas faces da mesma moeda do politico da sagrada familia:
o 1º à moda antiga fazendo merda por td lado e empurrando pra dbx do tapete.
O 2º, supostamente um lider moderno e com projecto, mas endividando a autarquia e fazendo obra só à medida dos gr interesses e amgos politicos de há anos.



Vo(l)ta candidato Vieira*


:)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

As pseudo-elites do PS andam nas universidades particulares à caça de tachos! :(

Sr disse...

nas privadas? lol, parece-me q a promiscuidade q se ve no dominio publico é bem mais nojenta e agonizante.
Whateva, o nietzsche continua a ter razão, tudo radica numa questão cultural de fundo e nao apenas em elites. A quem tenha plena conscª disso, so mesmo a ideia de comunidade interessa trabalhar: mãos à obra!


Tou já a tentar contactar os Fura Del Baus para uma proxima candidatura independente à camara de Gaia
:P

Goggly disse...

Francisco,

sabe, a minha mãe é uma cantora extraordinária (eu infelizmente não), canta com grande satisfação muitas árias conhecidas, nomeadamente Händel, mas tem um amigo que me perturba imenso: é o Zé. Imagine que é a pessoa mais estranha que conheço! Diz ele que o emblema do PS - a mão em riste - quer dizer o seguinte: «Não damos nada a ninguém». Eu farto-me de rir com ele, efectivamente; conta histórias do arco-da-velha, nomeadamente aquela dos restos mortais de um santo dentro do armário da sacristia da Igreja de São João do Souto, entre outras coisas mirabolantes. Quando quero espairecer, lá vou eu em passo cadenciado à Casa dos Crivos só para o ouvir falar.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sr

São sempre os mesmos que circulam do público para o privado e de Lisboa para o Porto, passando por Coimbra ou Aveiro. Enfim, não temos universidade, mas centrais do tacho. (O Menezes teve uma maioria confortável!)

Goggly

O PS também está a precisar de uma limpeza geral: a maior parte dessas elites socialista é formada por oportunistas. Mas isso é uma constante em Portugal!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sr

O seu Nietzsche comunitarista faz o verdadeiro Nietzsche estremecer no túmulo! Uma versão muito conservadora, talvez do agrado de MacIntyre! :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Porém, precisamos trabalhar as diversas camadas em profundidade e a comunitária é uma delas! :)

Sr disse...

bem, vou trab a serio q ja tou atrasado :)
Em fundo, e pra quem tb n tenha assistido => http://videos.sapo.pt/sicnoticias/playview/43


Vejam o vd do canal + no final :)

http://videos.sapo.pt/sicnoticias/playview/43

Sr disse...

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sr

São sempre os mesmos que circulam do público para o privado e de Lisboa para o Porto, passando por Coimbra ou Aveiro. Enfim, não temos universidade, mas centrais do tacho. (O Menezes teve uma maioria confortável!)


-------------------------------


falava no dominio publico generalizado = funcionalismo*


O conceito de comunidade de nietzsche com q simpatizo é o de comunidade de espiritos, algo assim a pender pro cosmopolitismo internacionalista. nada a ver com o velho e rustico comunitarismo à manuel alegre-louçã, portanto :P


C YA LATER 0/

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

MacIntyre coloca esta questão: Nietzsche ou Aristóteles?

A sua teoria da moral - comunitarista - procura construir uma moral realmente capaz de mobilizar os indivíduos das nossas sociedades atomizadas em torno de um projecto comum, retomando a ética das virtudes de Aristóteles contra o "superhomem" de Nietzsche. Procura novas formas de comunidade que possam configurar determinados modelos de pessoa e que nos permitam falar de virtudes, isto é, da excelência de tais modelos.

Apesar de ser uma ética de direita com pretensão à universalidade, a ética das virtudes tem o seu lado positivo, mas não estou seguro da aliança que ele estabelece entre Nietzsche e Marx. Bom trabalho!

Goggly disse...

Sr,

agradeço imenso o seu comentário; fez com que não fumasse durante uma hora. Porém, tive um acesso de tosse terrível.
Não reparei em nada que fosse assinalável, como mencionou; apenas para o momento caricato do Major durante o seu discurso. Ah, pelos vistos ele falou em francês, durante esse mesmo discurso; engraçado, não?

Francisco,

estive a ler outras postagens suas; continue o bom trabalho, que eu gosto imenso do seu blogue. Espero que não me leve a mal por ter estado ausente tanto tempo e depois haver aparecido qual para-quedista. Ah, não se preocupe que não ando à caça de tacho :)

Do espaço sideral,
Goggly.

Sr disse...

Francisco


Do Macintyre, axo q so li uma obra, e sobre Marcuse. N conheço, portanto.
Todavia, e se sao esses os termos q ele trabalha, parece-me q peca logo por n saber exactamente o q seja o ubermensh do nitx.



goggly - referia-me á parte final do vd, onde aparece uma pub ao canal plus francês*




Whateva, sell the vatican!

http://www.youtube.com/watch?v=3bObItmxAGc


:P

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sr

Conhece o grupo - Invicta Clower Walkers Crew? adicionei 3 vídeos desse grupo! :)

Ya, MacIntyre é conservador! :)

Sr disse...

com esse nome nao encontrei nada. :)
fica pra amanhã, q agora vou deixar este, já q a fraulein parece voltar a andar por aí


http://www.youtube.com/watch?v=uOAHKmfwpZ0


:))


c ya 0/

limalimão disse...

Caro J. Francisco Saraiva de Sousa, concordo em absoluto com a sua opinião sobre Rui Rio. A meu ver ele não ama o Porto. Mas aqui no Norte temos muitas pessoas que amam a sua cidade e meter tudo no mesmo saco é abusivo: "É gente muito feia a do Norte! :("
:(

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

De vez em quando - em momentos cruciais da vida política da cidade - fico furioso e descarrego... É só isso... :)