segunda-feira, 14 de abril de 2008

Desenhos e Hiperplasia Adrenal Congénita

O pseudo-hermafroditismo feminino, com cariótipo 46,XX, deve-se geralmente à Hiperplasia Adrenal Congénita (CAH, Congenital Adrenal Hyperplasia): um distúrbio autossómico recessivo que surge de defeitos específicos nas enzimas do córtex supra-renal necessárias para a biossíntese do cortisol, resultando na virilização de crianças femininas. O desenvolvimento ovárico é normal, mas a produção excessiva de androgénios provoca a masculinização da genitália externa masculina: aumento do clitóris e fusão labial de modo a formar uma estrutura similar à bolsa escrotal.
O defeito mais comum é a deficiência de 21-hidroxilase que bloqueia a via normal de biossíntese, provocando a hiperprodução de precursores que são desviados para uma via de biossíntese de androgénios, causando níveis anormalmente elevados de androgénios. As meninas com deficiência de 21-hidroxilase nascem com genitália ambígua, enquanto os meninos afectados têm genitália externa normal e podem não ser reconhecidos no início da lactância. Destes pacientes com a deficiência de 21-hidroxilase clássica, 25% têm o tipo virilizante simples e 75% têm o tipo com perda de sal, que é clinicamente mais grave e pode levar à morte neonatal. Estes pacientes têm sido usados na pesquisa para testar a hipótese neuro-hormonal da orientação sexual.
As diferenças sexuais são reconhecidas nos desenhos livres das crianças em função dos motivos, cores, composições de figura e expressão. As crianças do sexo masculino tendem a desenhar objectos móveis e objectos mecânicos, com cores escuras ou frias, e frequentemente usam a composição de "visão do olho do pássaro" ("bird's-eye-view") quando desenham imagens, enquanto as crianças do sexo feminino preferem desenhar motivos humanos, tais como meninas e mulheres, flores e borboletas, com cores claras e quentes, e tendem a compor os motivos em fila sobre o terreno ou solo.
Lijima, Arisaka & Minamoto (2001) analisaram os desenhos de meninas com Hiperplasia Adrenal Congénita e de meninos e meninas não-afectados, usando índices masculinos e femininos. A diferença sexual nos índices masculinos e femininos foi clara nos desenhos de meninos e meninas não-afectados: os seus desenhos não continham ou quase não continham características típicas do sexo oposto. Comparados com os das meninas não-afectadas, os desenhos de meninas com CAH mostraram marcadamente características masculinas. O índice feminino para os desenhos de meninas com CAH foi significativamente menor do que para os desenhos das meninas não-afectadas, enquanto o índice masculino para as meninas com CAH foi significativamente mais elevado do que para as meninas não-afectadas. Além disso, o índice masculino para as meninas com CAH não era significativamente diferente do índice dos meninos não-afectados.
Estes resultados sugerem que a exposição aos androgénios durante a vida fetal pode contribuir para as características masculinas exibidas pelas meninas com CAH, bem como evidentemente pelos meninos não-afectados, nos desenhos livres. Além disso, fornecem mais evidência empírica para as tipologias das homossexualidades masculinas (Homossexualidades Masculinas) e femininas (Os Universos das Lésbicas: Uma amostra nacional) que já discutimos noutros posts (Bissexualidade Masculina Desmentida).
Contrariamente ao que dizem os "amigos de Flaubert", os onanistas mentais e cognitivos, as tipologias não contribuem para a discriminação sexual, mas para o esclarecimento científico dos fenómenos em questão: o conhecimento é a melhor arma de combate contra o preconceito e o estigma sexual. (Recomendo a leitura deste excelente post do Fernando Dias: Identificação e Auto-identificação.)
J Francisco Saraiva de Sousa

48 comentários:

F. Dias disse...

Também estou de acordo. O conhecimento é a melhor arma de combate contra o preconceito e o estigma sexual.

Smartphone disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Smartphone, I hope you enjoy. The address is http://smartphone-brasil.blogspot.com. A hug.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Fernando Dias

A chamada ideologia do "politicamente correcto" invadiu a própria investigação: há uns seres obscuros nas academias que tentam bloquear a descoberta da verdade. Então, usam o seu miserável poder para isolar aqueles que não querem ser politicamente correctos, como é o meu caso. Chamo-lhes onanistas mentais e cognitivos porque têm muitas faces: publicamente dizem uma coisa, mas em espaços privados revelam a sua mente corrompida. Quanto mais velhos, mais podres ficam! São pessoas sem qualidades que alcançaram certas posições através da cunha. Estão instalados e, como nunca fizeram uso bom da cabeça, tentam defender a sua mediocridade como se se tratasse de algo "inteligente". A corrupção esteve sempre instalada nas Universidades. Por isso, o ensino está como está: em crise.
Penso que alguns se sentem atacados, porque se incluem nalgum tipo.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Cheguei a pensar que este governo tivesse coragem para encarar realisticamente a realidade e tomar medidas realistas; mas, em vez disso, está a ser movido por uma perspectiva falsa, resultante da projecção de uma realidade fictícia absolutamente contrária à realidade tal como a vivemos diariamente. Mais onanismo político! :(

Aveugle.Papillon disse...

Sem dúvida! Mas isso é como em tudo, não lhe parece? Os preconceitos, em qualquer domínio, são sempre embargos ao progresso do conhecimento. Sobretudo, quando nem são reconhecidos enquanto tal!
Especificamente, acho que as "tipologias" têm uma importância relativa. Porque, por um lado, acho-as necessárias para a compreensão do problema, mas, por outro lado, como tipologias que são, são redutoras, ainda mais num domínio tão complexo, porque tão humano, que é a sexualidade. Mas também não há outro modo de se fazer as coisas. Apela-se ao bom-senso, em última instância! :)

Conheço um menino com 5 anos que nasceu hermafrodita e entretanto já foi submetido a inúmeras operações :( Ele é gémeo de uma menina, mas ela nasceu normal.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Viva Papillon

As tipologias ajudam a enquadrar os fenómenos na sua diversidade e, posteriormente, possibilitam outras pesquisas biológicas. Por exemplo, enquadrar todos os homossexuais no mesmo "grupo" é esquecer que existem diferenças internas, portanto, subgrupos, que podem ser explicadas a partir da variação genética e perfis neuro-endócrinos diferentes. A sua diferenciação interna facilita essa pesquisa e faz "justiça" à própria realidade. Afirmar que uns são passivos, outros activos, por exemplo, não é discriminar, mas detectar uma diferença real, porque na realidade todos eles são discriminados socialmente como se todos fossem "passivos", logo não-homens, que andassem à caça de homens heterossexuais. O preconceito heterosexista é distorcido e falso.
O menino tem deficiência de 5alfa-redutase? Ou outra síndrome?

Aveugle.Papillon disse...

Mas repare: ao divisar activos de passivos, supera o preconceito heterosexista, mas cria outro, porque há muitos q são activos e passivos... cria uma nova categoria? Ou são a-categóricos? Eu sei que têm de estudar a sexualidade humana, até para quebrar os tais partis pris, mas idealmente a sexualidade deve ser vivida livre e responsavelmente sem rótulos... ou seja: essa objectificação é fictícia! Como diz Marguerite Yourcenar: "As nossas fantasias bem se esforçam por vestir as coisas, mas elas são divinamente nuas!"

Desconheço a síndrome do menino... :( só convivo com a irmã. (eles moram separados)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Papillon

Suponho que já deve ter lido a minha tipologia que prevê essa situação! Aliás, o meu modelo prevê que os homens gay efeminados fazem desenhos (em crianças) atípicos! Mais um indicador do tipo de homossexualidade adulta! Um estudo longitudinal pode confirmar ou refutar essa previsão!
As mulheres com CAH tendem a ser lésbicas na vida adulta! Outra confirmação do meu modelo!
Ainda não consegui fundir os endereços. Criei mais dois blogues com títulos equivalentes aos outros. Mas não sei como fazer? Reproduzi-los aqui neste endereço e depois eliminá-los ou deixar tudo como está?

Aveugle.Papillon disse...

A primeira parte do seu comentário n percebi (em relação ao que eu tinha dito).
A segunda, tb n sei o q lhe responder, tenho um blog esquizofrénico, pelo que nunca senti necessidade de criar mais, por isso n sei como se faz. Mas no seu dashboard tem um link para o fórum da Blogger, talvez aí o possam ajudar.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

O meu comentário visava aquilo que tinha dito sobre os gay que fazem alternação sexual, embora esse comportamento dependa de muitos outros factores, muitos dos quais ainda pouco claros.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Não encontro esse fórum do Blogger! Estes dois blogues vão ser linkadores interactivos com os restantes: uma espécie de política interna! Mamemimomu

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Não queria que tivessem datas: apenas temas que seriam actualizados. Talvez também com posts de outros bloggers. Mas nestas matérias sou info-analfabeto! Babebibobu :(

Aveugle.Papillon disse...

Que n tenham datas é super simples de fazer. Vai a Layout, edit posts (configure blog posts) e pode retirar a data em cabeçalho (no meu blog está em rodapé) e tirá-las tb em rodapé, ou seja, ficando sem data. Pode seleccionar o q quiser.

O fórum da Blogger é simples: está no dashboard e em Help Resources, entra em Help Center e aí pergunta (em inglês) o q pretende, haverá sempre alguém q lhe responda ou pode já ter essa pergunta respondida também - faça uma busca com palavras-chave.

Quer um curso por correspondência ou lições privadas? Prometo sucesso garantido! ;)

Ta-te-ti-tótó!!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Obrigado Papillon

Já configurei os dois novos blogues: serão interactivos e, quando iniciar a postagem, tiro as datas. Zazezizozu

Aveugle.Papillon disse...

O Francisco é mesmo infantil. :P

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Papillon

Tenho momentos adultos misturados com outros lúdicos, a que chama infantis. Fico com os dois endereços. Vou ver... Não gosto muito do fundo do NeuroFilosofia (novo). O CyberPhilosophy foi alterado: está mais giro. Estava para alterar este mas vou deixá-lo como está. Não tenho tempo para tudo. Até podia ter editado os desenhos das crianças neste post!

Aveugle.Papillon disse...

Em respeito à "alternação sexual", cujos factores ainda n são muito claros, não será porque as expressões sexuais são difusas e têm a ver com as circunstâncias? Por exemplo, conheço um gay que era passivo, mas depois tornou-se adepto da "alternação". Que factor motivou? Provavelmente, começou a ser activo e gostou. Porque, com o parceiro actual, isso se proporcionou.
Não sei, o que vai detectar, passível de explicitação científica, sr. investigador?
Outro exemplo flagrante, são as mulheres que têm uma vida heterossexual e mais tarde têm casos com mulheres. São lésbicas dissimuladas? O que são? É isso q eu n gosto do exercício da taxinomia, porque é indutivo e logo generalizador e com margem de falsidade. Mas o ser humano é assim. Só se sente bem e seguro quando identifica algo.

Aveugle.Papillon disse...

Sim, o layout do cyber-philosophy n é feio, mas a sua foto n encaixa bem no cenário... :)))

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Hummm... essa é uma estratégia masculina! Identificar para controlar! :)
O caso das mulheres é diferente, porque carecem do órgão de penetração e a sexualidade é mais maleável.
Entre os homens há sempre a possibilidade de alternar os papéis sexuais, embora na prática isso não ocorra: a idade, a paixão, e excitação, o tamanho, etc., são factores que condicionam, mas a inclinação por um papel em detrimento do outro é muito fixa. O seu amigo (passivo, agora activo) pode procurar sexo extradiádico! Acontece!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

E repare que não estigmatizo os "passivos": é a sua expressão sexual natural e deve ser respeitada! Não sou homem das trevas religiosas!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Tiro a foto?

Aveugle.Papillon disse...

Mas ele n era passivo e depois passou a activo! Ele é as duas coisas (e já agora ele é muito mais novo q o seu companheiro q, por acaso, é casado e rico (ou seja o meu amigo é um pouco "puta")! Tb há homens heterossexuais que gostam de penetrar mulheres, portanto, e q gostam de ser estimulados no ânus, são o quê?
Tb n disse q estigmatizava os passivos! O F. é respeitador de todas as expressões sexuais, desde que responsáveis, pelo menos é o que aparenta, a partir dos seus textos.

Pode tentar colocar a foto noutra posição.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Nesse caso, tenho pena da mulher do companheiro dele! Suspeito que aí possa haver compulsão sexual muito grave! (As estimulações do ânus podem "viciar"...)
Estava para colocar outra foto, mas não fica bem devido ao contraste de cores!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Afinal, é Primavera: um ar fresco para o blogue! Depois mudo no Outono!

Aveugle.Papillon disse...

Ai, n sei se gosto deste novo layout... no outro lia-se melhor...

A mulher vive à custa do marido. Esse tipo de mulheres n se importa q os maridos tenham amantes (macho ou fêmea) desde que lhes dêem dinheiro, e eles, por sua vez, têm de ter mulher, porque pelos cargos que ocupam, têm de aparentar família convencional.

Compulsão sexual grave! Ora, é contade de comer! Mas já estão juntos há imenso tempo. E ele leva-o a passear a vários sítios e em Madrid passeiam de mãos juntas! :)))

"A estimulação do ânus pode viciar!" ahahahah... o que disse foi maravilhoso! :)))

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Regressei ao mesmo!
Então, ela sabe? Estranho, mas se o dinheiro for a razão compreende-se. Também pode andar à caça fora, já que o marido prefere homens!

Aveugle.Papillon disse...

Não! Não sabe! Pelo menos n sabe que a amante é homem. :)

Ya, eu prefiro este. Já estou habituada. :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Quanto ao vício anal, tenho uma amiga que gostava de brincar com o vobrador no marido. Inicialmente ele não queria, mas depois de deixar a mulher introduzir-lhe o vibrador começou a alinhar com homens! Daí que tenha dito que a coisa pode viciar... A mulher está radiante porque é lésbica: as amigas são amantes.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Tenho outra amiga que suspeitava que o marido lhe punha o cornos. Porém, certa vez descobriu marcas de sangue nas cuecas. Ficou possessa e contratou um detective privado. As amantes não eram mulheres mas homens que o penetravam. Tem as fotos e divorciaram-se.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Como dizia Aristóteles: a tusa concentrada atrás, faz falta à frente. Raros são os com dupla-tusa!

Aveugle.Papillon disse...

No primeiro caso, ficaram todos felizes! :))) A introdução anal, abriu-lhes novos mundos.
Mas geralmente, as mulheres ficam traumatizadas qd descobrem q os maridos (afinal!) eram gays... mas caríssimo F., ou muito me engano, ou n deve ser assim tão difícil de suspeitar... acho q elas são muito desatentas! Mas, claro, enquanto mulher, sou compassiva.
"Dupla-tusa" é interessante! :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Estava a pensar no que desenhava em criança e depois lembrei-me que nas escolas as professoras escolhiam os motivos das composições, embora preferisse paisagens selvagens ou urbanas.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Nunca desenhei borboletas, embora as caçasse para coleccionar! :)

Aveugle.Papillon disse...

Qd era criança ganhei o primeiro prémio no festival internacional de banda desenhada da Amadora! Ganhei imensos livros de BD, mas é um registo q me desinteressei.
Ai q feio, Francisco! Mas, por acaso, tb tenho borboletas mortas penduradas no meu quarto - são tão lindas!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Coleccionava animais e muitas vezes matava-os metendo-os em alcool! Sim, que feio! Mas era minha biopaixão.
Quando falei da dupla-tusa, estava a falar no masculino. É evidente (Egas Moniz sabia-o) que a tusa à frente estreita atrás, donde resulta mais prazer para ambos.
Dupla-penetração (trio: uma mulher e dois homens) pode ser bom para ela e para eles, mas o bom é diferente: suponho que se trata de cópula gay simulada! Eles ficam com tusa e estão em contacto: para eles, ela é mero objecto. Os homens são "estranhos"!

Aveugle.Papillon disse...

Sim, qd disse dupla-tusa estava-me a referir a homens. Acho sempre interessante a ambivalência.

Penso que a dupla-penetração seja uma fantasia mais desejada pelo homem do que pela mulher, precisamente pelo que diz, por tratá-la como um objecto. Por outro lado, uma das fantasias mais recorrentes das mulheres é serem "violadas" o que, de alguma forma, tb é tratá-la como um objecto.
Bom, os homens e também as mulheres são "estranhos". Mas é esta estranheza que faz "apaixonar" os cientistas. :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Constitui um desafio para o exercício do pensamento identificador! :))

Aveugle.Papillon disse...

A25-B18-DR15: Es un marcador genético que sólo se ha encontrado en los portugueses y en sus descendientes norteamericanos o brasileños. Es con toda probabilidad un antiguo marcador de la poblaciónlusa ancestral.

A26-B38-DR13: Es un marcador específico de los portugueses que no se ha encontrado en ninguna otra parte del mundo; posiblemente existió en los primeros ibéricos del Oeste. Estos genes y los anteriores, que son peculiaresde portugueses, reflejan el relativo aislamiento de esta población, quizá aún mayor que el de la vasca, donde sólo ha sido hallado un haplotipo específico (A11-B27-DR1).



Francisco,

Sabia que os portugueses têm dois genes exclusivos? É que nem mesmo os Bascos, que resistiram nas Astúrias aquando da invasão moura, têm dois genes exclusivos! Li ontem uma entrevista no DN da directora de turismo de Lx em que dizia isso, e fui procurar. Está tudo explicado: estamos votados à involução. :)))

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sabia: há estudos portugueses publicados em revistas internacionais. Penso que o centro de Oeiras também fez qualquer coisa. Infelizmente, não devo ter guardado esses estudos. Sim, Papillon, os tugas são muito involutivos! :(((

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

E quando soubermos mais sobre a inteligência, iremos ficar mais preocupados com a nossa involução! Mas não se preocupe, porque há biodiversidade e não temos todos esses marcadores genéticos involutivos. :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

A única excitação que move os tugas é o impulso para a corrupção, dado serem destituídos de inteligência fina e elegante: os tugas são seres-para-a-trapaça. :(

Aveugle.Papillon disse...

Devo confessar aqui, em ágora francisquina, que me satisfaz ser sucessivamente confundida por estrangeira. É que ao menos fisicamente e socialmente escapei-me aos traços brutos e trogloditas dos lusitanos. E, intelectualmente e moralmente, tb faço esforços vigorosos para o mesmo. :)
Precisamente, eu acho que é o gene da ciganice (sem desprimor para com a etnia cigana)... do: como-é-que-consigo-usufruir-de-algo-sem-ter-de-me-esforçar-para-tal

(n sei se este comment é repetido, se for, faça o favor de o apagar)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

As palavras certas para nomear a coisa lusitana:

"como-é-que-consigo-usufruir-de-algo-sem-ter-de-me-esforçar-para-tal".

Somos estrangeiros! Viva a Papillon

Aveugle.Papillon disse...

Está bem.
Mas temos origens diversas. O Francisco veio da Islândia e eu de Côte-d'Azur. :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Por isso, escapámos à terrível luso-genética. Penso que tenho um dos artigos em inglês. Aqui investigaram isso a partir do ADN mitocondrial. Sei que a zona sul tem traços africanos, devido à escravatura, bem como arábes. Esse estudo de Oeiras (?) mostra que existem diferenças Norte/Sul (mesmo sul). Pensei que os bascos eram mais "involutivos", porque houve aqui um congresso em que participei e durante o jantar no Palácio da Bolsa falámos disso.
Uma coisa lhe digo Papillon: os espanhóis não me superam; pelo contrário, acho-os muito lentos mentalmente.

Aveugle.Papillon disse...

Tb ser melhor q os espanhóis n é grande façanha.
O F. vem de uma linhagem nobre da Baviera com alguns genes, congelados, da Islândia, pelo que tem grande destreza de raciocínio, mas tem sentido de humor alemão - diminuído - e um pouquinho falta de flexibilidade, mas muito corajoso e generoso.
Eu, por sua vez, venho de uma linhagem burguesa da Normandia, mas por gostar tanto de Sol, migrou para a riviera francesa. Da parte da mãe, descendo de Afrodite - ilha de Creta.
Vou para o ginásio! :))

Aveugle.Papillon disse...

errata: Afrodite n é de Creta! É de Chipre! Diónisos é que é de Creta. Engano-me sempre. Mas fica a ideia. :)

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sim, o que interessa é a ideia, o conceito, o que falta aos intervenientes de Prós e Contras de hoje...