domingo, 2 de março de 2008

D. Policarpo e a Gente Vinda do Terror

A blogosfera portuguesa fervilha de comentários muito críticos em relação à entrevista dada pelo Cardeal Patriarca de Lisboa ao SOL. A frase mais referida é esta:
«As pessoas começam por esbarrar com as dificuldades e habituam-se à ideia de um só filho. Desde que se quebre o coeficiente de equilíbrio, a sociedade fica aberta a ser ocupada por gente vinda do terror e vinda do Ocidente e do Oriente, como diz o Evangelho. O que faz com que seja previsível que, dentro de alguns anos, as sociedades europeias percam a sua fisionomia do ponto de vista religioso, do ponto de vista comportamental, cultural. Como se sabe, já há sociedades europeias a braços com a multiculturalidade e com a dificuldade de harmonia entre as diversas procedências da população, de que por um lado precisamos.»
Mas existe algum erro de análise nesta frase clara como a água mais cristalina? Não! A baixa natalidade é uma realidade europeia preocupante! A solução adoptada está a gerar conflitos internos no seio da Europa e a multiculturalidade ameaça a identidade da Civilização Ocidental. Factos bem comprovados e deveras preocupantes! A Europa está a regressar à barbárie, ameaçada externamente por determinadas etnias imigrantes, e internamente pelos próprios europeus metabolicamente reduzidos, que trocam o pensamento por uma refeição gordurosa numa das praças da alimentação. O «politicamente correcto» massifica-se e o resultado são estas «comunidades emocionais» incapazes de pensar para além do seu próprio horizonte metabólico. Nem 11 de Setembro lhes ensinou o que é o Terror! (Reveja, entre outros, este post Marxismo, Ateísmo e Cristianismo.)
J Francisco Saraiva de Sousa

15 comentários:

Aveugle.Papillon disse...

Pois, mas os gordos europeus hiper-especializados precisam de etnias imigrantes que lhes limpem as suas retretes e vomitórios!
Por isso n há invasão de bárbaros! Isso é falacioso! Há antes o grande tumor da plutocracia e do materialismo, que corrói a civilização Ocidental. A leitura do 11 de Setembro como maus contra bons, ou Oriente contra Ocidente, é demasiado simplista! Também os EUA provocaram muito terror! O derrubamento das torres foi como um enfarte: as artérias das ideias ocidentais já estavam obcecadas!
Se durante a Idade Média, (barbárica como eu a entendo), a luz resistiu a Oriente, talvez esta seja uma nova Idade das Trevas a Ocidente?

[O meu mano casou-se com uma indiana muçulmana, e esta pode ser a figura que representa aquilo que eu desejo: aliança.]

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Ah Papillon

Não sou contra as etnias ou as alianças! O Cardeal tem direito a exprimir as suas opiniões e não vejo nelas nada de terrível, como dizem. Gostei do "tumor da plutocracia"... Contudo, o nosso modelo de sociedade precisa ser mudado.
Também tenho um vizinho juíz casado com uma indiana...

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Vi ontem na RTP1 um programa sobre as técincas de tortura. Muito civilizadas! Mas sou pró-americano, pelo menos sem Obama!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Mas tem razão: os americanos cometeram muitos erros! Muitos! Mas ainda não compreenderam que, se Obama vencer Hilary Clinton, vence o candidato repúblicano!

Aveugle.Papillon disse...

Mas o Cardeal tem todo o direito em emitir a sua opinião, isso para mim é claro. E fazer evangelização - à falta de crentes e vocações religiosas...

Se os ocidentais n têm mais filhos, é porque não querem baixar o nível de vida que têm: o prazer acima do bem comum.
Só frisei que: os "orientais" não são bárbaros e que se os ocidentais estão cheios de "stress" e o onanismo continuado não o cura, não é por culpa dos "orientais": são escravos!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sim, Papillon estamos de acordo.
Mas vamos pagar caro esse onanismo: mais outro crime no Porto, aqui na Boavista! Não percebo esta onda criminal. Ainda bem que ontem adormeci. O povo diz-me que tudo vem daí, de Lisboa!
O seu Sporting vai jogar hoje!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Aliás, também aí ocorreu um crime ontem! Isto está feio...

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Como sempre, o derby aí já começou com violência! Que horror! Nós aqui não temos essa violência, apesar das panteras negras (Boavista) odiarem os "dragões". Também tenho um vizinho "boavisteiro"!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Já somos multiculturais!!! :))))

Aveugle.Papillon disse...

Pois, infelizmente os machos quando se juntam em manada deixam aflorar a estupidez congénita.
A rivalidade Porto-Boavista n é comparável à do Sporting-Benfica, nem o número de adeptos...
Sobre a criminalidade, tb acha , como o povo, que vem de Lisboa, qual enviado do demo?
Já dormi na Av. Boavista, tinha mesmo atrás esse estádio muito feio.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sim, acho um pouco, mas este não é o lugar certo para falar disso. Há uns que não são de cá mas daí. Basta ver quem morreu...
O Estádio do Bessa, o novo? O do dragão é o mais bonito, sem dúvida!
Empataram, mas não vi porque tinha à mesa pessoas a conversar comigo.

Aveugle.Papillon disse...

Está bem. Lisboa tem o pior, mas também tem o melhor. :)

Na Sábado vem uma reportagem que me fez lembrar os seus escritos: "festas gay com sexo de alto risco", o conceito barebacking. O único critério para ir às festas é fazer sem preservativo. Enfim, esta gente é desalmada e com muito pouca auto-estima, só pode. O instinto sexual dos machos deve ser mesmo algo brutal.

Por falar em brutal: o filme "No Country for old men" é muito bom, mereceu o óscar.


Só espreitei o jogo, em zapping.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Papillon

"o conceito barebacking": infelizmente isto já é uma realidade em Portugal. Não é sexo; é suicídio! Está a ver como no Ocidente estamos decadentes! :)

Helena Antunes disse...

"...a multiculturalidade ameaça a identidade da Civilização Ocidental. Factos bem comprovados e deveras preocupantes! A Europa está a regressar à barbárie, ameaçada externamente por determinadas etnias imigrantes, e internamente pelos próprios europeus metabolicamente reduzidos..."

O problema não está no multiculturalismo mas sim na forma de lidar com ele. A multiculturalidade é considerada como uma ameaça porque os indivíduos a vêm como tal, ao invés de a verem como uma forma de enriquecimento cultural. As pessoas ainda não sabem nem estã preparadas para lidar com a diferença, nem sequer se esforçam minimamente para tal.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Mas Helena porque razão temos de regressar à Idade Média para aceitar a diferença? Os países árabes não respeitam a diferença! Nem são democráticos! Multiculturalismo é isso: destruição da liberdade! :(