quarta-feira, 26 de março de 2008

Fisiologia do Casamento e Saúde

Ao contrário do que é difundido pelos mass media e pelas suas mensagens medíocres psicosociologicamente orientadas, o casamento constitui a relação fundamental para a maioria dos indivíduos adultos e tem efeitos positivos na sua saúde. Ao mesmo tempo, os casamentos perturbados e infelizes têm consequências negativas na saúde.
Com base no modelo do stress/apoio social (Burman & Margolin, 1992), Robles & Kiecolt-Glaser (2003) reviram as vias fisiológicas através das quais a relação marital influencia a saúde: os sistemas cardiovascular, endócrino e imunológico. Os casamentos infelizes estão associados com morbidade e mortalidade elevadas: os conflitos e as discussões conjugais desencadeiam elevada actividade cardiovascular, alterações nos níveis das hormonas relacionadas com o stress e desregulação da função imune. O stress crónico é o factor que ajuda a compreender a associação entre as mudanças fisiológicas e os diversos funcionamentos maritais.
Os indivíduos casados dizem ser mais felizes e estar mais satisfeitos com a vida (Mastekaasa, 1994) do que os indivíduos solteiros. Correm menor risco de depressão ((Robins & Regier, 1991) e têm maior protecção contra a mortalidade do que os indivíduos solteiros (Johnson et al., 2000). Porém, o casamento protege mais os homens da mortalidade do que as mulheres (Litwak & Messeri, 1989; Berkman & Breslow. 1983; Ross et al, 1990). Os factores que parecem promover a saúde e o bem-estar na relação marital são a coabitação, o bem-estar económico e o apoio social (Ren, 1997; Hughes & Gove, 1981).
A fisiologia do stress crónico «aplica-se» tanto aos casais de sexo oposto como aos casais do mesmo sexo. Contudo, como seria de esperar numa sociedade heterosexista, o estigma sexual cria constantemente a categoria de "cidadãos de segunda classe", condenando os casais do mesmo sexo ao isolamento social e jurídico. Ora, o isolamento social constitui um factor de risco para a morbidade e a mortalidade (House et al., 1988). O conceito de "minority stress" foi elaborado para mostrar os riscos acrescidos a que estão sujeitos os casais do mesmo sexo devido ao preconceito sexual (Riggle, Thomas & Rostosky, 2005).
J Francisco Saraiva de Sousa

35 comentários:

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Olá Papillon

Hoje estou como o tempo! É tem razão: o "mental" está ausente da rotina sexual. Captura do "mental"! Segue-se a receita dos filmes pornográficos. Está melhor?

Aveugle.Papillon disse...

Tossi muito durante a noite. Mas sinto-me mais ou menos.
A minha alegria é biológica, n há nada a fazer. E sou solteira! Quando me casar, o meu miocárdio n aguentará de tanto júbilo!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

São novos modelos de saúde! A receita é sempre a mesma: Amor. Isto se a relação for de qualidade; caso contrário, ficamos mais vulneráveis às doenças e mais próximos da morte. Omiti essa informação mais técnica relativa aos mecanismos fisiológicos.
Mensagem: É bom estar casado! É bom socializar! É bom ter amigos! É bom ter família!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

O maluco do "cão"? Já tinha visto!

Aveugle.Papillon disse...

Não, o que está mais abaixo.

Sim o Amor é a salvação, claro!

Aveugle.Papillon disse...

Sim, uma amiga da minha mãe, com 30 e poucos, muito bonita, sempre teve imensos namorados, casou-se há pouco mais de um ano e desde então tem tido sucessivas maleitas. O casamento a ela n lhe fez nada bem. :(

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Tadinha! Conflito conjugal?

Aveugle.Papillon disse...

Não; aparentemente está td bem. Ele tb é bonito e muito querido e amigo dela.
Mas se calhar ela n é de natureza de se casar. Ou ele n a satisfaz sexualmente. N faço ideia. Mas é estranho. Eu a minha mãe especulamos entre nós.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Já li o vosso diálogo! Muito belo! Afinal, a Papillon gosta de Antero! E, com as pernas, seduz o anónimo!

Aveugle.Papillon disse...

Ya... a internet tem destas preciosidades!
"Afinal"? Eu sempre gostei de Antero. tsss tsss

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Deveras estranho um par "bonito" resultar em "sucessivas maleitas" do membro feminino! Hummmm.... Também não sei que maleitas serão essas!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Tossiu?
Sabe uma coisa? Se não tivesse de boa-fé, também colocava uma penil imagem. Já era mais popular... A seriedade é fatal em Portugal! :/

Aveugle.Papillon disse...

Ai! que me está a dar uma coisa má!!!

Mas eu utilizo a internet para brincar, isso é explícito para mim e para todos!

Se a sua posição é de "seriedade" e sobriedade eu tb respeito isso. Nunca lhe faltei ao respeito como sabe!!!

Aveugle.Papillon disse...

Cada um deve ser fiel ao que se propõe, e, caro F., nunca me poderá acusar de incoerência!

Sou provocadora porque isso me diverte; mas quase ninguém sabe brincar! Falta de inteligência, falta de humor, falta de juventude, falta de espírito!!!!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

$_$ &_& §_§ O blogger limita a minha criatividade! :(

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Não sei se gosto muito da poesia do Antero, mas referia-me ao facto de ter citado um poema dele. A poesia também pode ser "provocação" e, se me fizer justiça, os meus posts tb são provocadores... Porém, a nossa luso-realidade carece, como diz, de imaginação, talvez devido à corrupção (decadência) do espírito...

J Francisco Saraiva de Sousa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aveugle.Papillon disse...

Escusava de ter dito.

Acabou de destruir a imagem idílica que tinha de si.

A minha provocação n é "sexual", mas mental e no mental cabe tb a sensualidade, naturalmente.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Já retirei o que disse, para recuperar a imagem que faz de mim! Hoje estou como a chuva! :(

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

"Num outro local cibernético?" Depois eu é que sou...

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Papillon

Estive a ver blogues de professores: só falam dos seus interesses corporativistas. Nem uma única palavra sobre cultura ou outros temas interessantes!
É mesmo como diz: "Falta de inteligência, falta de humor, falta de juventude, falta de espírito!!!!"

Aveugle.Papillon disse...

Eles n têm cultura. N podem falar do q n têm.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Papillon

Não fique zangada, mas Portugal está a perder com a Grécia por causa dos jogadores do seu clube Green! Que humilhação! Depois o sistema luso-corrupto tenta atacar Pinto da Costa, o grande dirigente desportivo nacional. Miséria de Portugal invejoso e corrupto!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Hugo Almeida, do Porto, marcou um golo de honra! Precisa marcar outro para empatar o jogo e mais outro para vencer!

Aveugle.Papillon disse...

eheheh... não fico nada zangada!
o Miguel Veloso teve o azar de ter nascido bonito!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Perdemos sempre com a Grécia... :((

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Estranho, Papillon. ando com o pressentimento que as temáticas que abordo estão a ter influência em certas agendas políticas! Sei de uns casos específicos mas não tinha uma visão clara.
Sempre achei que Portugal anda no rumo errado, desde bebé! Procuro ser "diplomático", porque o seu estilo é mais forte, determinado e persistente. Porém, estou "ansioso", com saudades do impossível... Conversar, escutar uma voz morta!

Aveugle.Papillon disse...

Hoje baixaram o IVA! Nada mau.

Se calhar o F. é o conselheiro virtual do Governo, desde bebé, mas n sabe - qual Neo no Matrix!
O seu cérebro é auscultado diariamente e os seus pensamentos são matéria de análise superior, determinando decisões políticas.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Que exagero, Papillon! Não pensava a esse nível! Mais baixo...

Aveugle.Papillon disse...

Eu estava a gozar, caro F....

Pois é, temos de avisar sempre quando o discurso é irónico!
Vou beber o meu chá.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Mas até tenho jeito para pensar planos estratégicos e também imediatos. Pelo menos, sou realista e não perdi o bom senso, como alguns lideres. Preferem falar a linguagem dos números manipulados, em vez da linguagem que abre as portas do futuro para todos. Corrupção! Sempre o mesmo termo, a mesma realidade!
Gosto do Matrix e do Neo. Também sou Neo... mas sem gótico, embora ame as catedrais góticas. (Vou acabar de ver a série da rtp1: Londres submersa!) :)

Aveugle.Papillon disse...

Eu já fiz de Trinity num pequeno sketch humorístico no casamento de um amigo. eheh

Boa noite!

Setora disse...

Sobre os professores diz o Francisco e a aveugle.papillon - falta-lhes a inteligência, o humor, a juventude e o espírito.
Face a isto, não entendo que critiquem os jovens que suportam mal a escola.
Como é? Só os senhores é que podem fazer estas análises? Os jovens terão que aguentar quietos, atentos e agradecidos a falta de inteligência, de humor, de juventude e de espírito dos mestres?
Ai, ai, ai...

Setora disse...

E já agora, uma vez que se fala de casamento e saúde, informo: apesar da tal falta de inteligência, humor... há 35 anos que sou professora no ensino público, há mais de 15 anos a trabalhar num subúrbio, nunca nenhum aluno me bateu, cuspiu... e sou casada há 30 também sem agressões nem cuspidelas. Os meus três filhos são autónomos e satisfeitos por estarem vivos. Uma até é professora e os alunos também ainda não lhe bateram, nem cuspiram, nem...

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Setora

Quando critico os professores ou os dirigentes políticos ou outros grupos profissionais, uso o "colectivo" mas, penso, que nunca escrevi "todos os...". Isto para evitar "personalizar" ou "fulanizar" a crítica: não sou "carrasco"! A crítica da escola visa contribuir para uma nova escola num tempo obscuro.
Fico feliz por nunca ter passado por essas situações de apuro! E penso que muitos professores também não foram alvo de agressões físicas ou verbais. Contudo, todos sabemos que, para as evitar, procuramos não pôr em cheque a nossa "autoridade": os alunos são efectivamente mal educados. E isso começa em casa, onde eles tendem a "dominar" os pais. É um problema de modelo de sociedade. A minha crítica dirige-se à própria sociedade estabelecida que urge mudar. Portanto, espero que não se sintam pessoalmente alvo da crítica: o que está em questão é o futuro, o nosso futuro colectivo.
Cumprimentos